Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar

Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar
View Gallery
5 Photos
Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar

O Ouvidor-Geral da União, Gilberto Waller Junior, fala durante evento em Belém, Pará.

Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar

Da esq. para dir.: Marcelo de Paula (CGU), Profa. Lidiane Dias (UFPA), a estudante secundarista Cleiane Bastos, Paulo de Rezende (H360), Ivan Costa (Observatório Social de Belém).

Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar

Ivan Costa, presidente do Observatório Social de Belém, fala durante evento em Belém, Pará.

Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar

Alunos do Projeto SOL contam sobre sua experiência em monitorar a merenda escolar em escolas públicas em Santarém, Pará.

Com a tecnologia do Monitorando a Cidade, a sociedade civil consegue controlar a qualidade da merenda escolar

Hugo Flórez Timorán (Banco Interamericano de Desenvolvimento) fala durante evento em Belém, Pará.

Entre os dias 26 e 29 de junho, no Pará, uma série de eventos com o apoio do Humanitas360 marcaram a conclusão da segunda fase do projeto Monitorando a Cidade (Promise Tracker). Essa plataforma, desenvolvida pelo Media Lab do Massachusetts Institute of Technology (MIT), permite que comunidades monitorem causas de seu interesse, utilizando as informações coletadas para cobrar melhorias de governos locais, com o apoio de instituições sociais, órgãos de controle e imprensa.

O Monitorando ganhou impulso no Brasil quando o Humanitas360 tornou-se parceiro do projeto, buscando contextos locais onde a ferramenta pudesse ser utilizada para favorecer o engajamento cidadão. Como fruto desse trabalho, a plataforma foi utilizada no monitoramento da merenda em escolas de ensino médio na rede pública do estado do Pará, gerando benefício direto para mais de 12 mil estudantes.  

Em Santarém, alunos que interam o Movimento Estudantil Pacto pela Educação do Pará e o Projeto SOL utilizaram o Monitorando em parceria com promotores do Ministério Público local. Em Belém, estudantes de graduação da Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Pará (UFPA) treinaram alunos do ensino médio sobre os aspectos legais e regulamentares da merenda escolar, e também sobre como utilizar o Monitorando na coleta de dados. O Núcleo Regional da Controladoria Geral da União participou da concepção do projeto e teve acesso aos dados colhidos pelos alunos, que foram incluídos em relatório da CGU do Pará sobre a merenda escolar no Estado, encaminhado ao Ministério da Transparência em Brasília.

No dia 26 de junho, uma audiência no Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE/PA) intitulada “Tecnologia, Transparência e Controle Social: Construindo Novas Estratégias” apresentou os resultados coletados pelos alunos do Projeto SOL e do Movimento Pacto Estudantil Pela Educação no Pará.

No 28 de junho, no Espaço Mirante do Rio da UFPA, um seminário sobre tecnologia e mudança social reuniu estudantes, professores, profissionais de tecnologia da informação e organizações da sociedade civil. Experiências com os aplicativos “Cuidando do Meu Bairro” e “Monitorando a Cidade” demonstraram a importância da tecnologia no implementar controle social do poder público.

Segundo Paulo de Rezende, conselheiro do H360 e líder do projeto,  problemas complexos de nossa sociedade exigem a participação de um amplo conjunto de atores comprometidos com as suas soluções. “Nessa iniciativa, o Humanitas360 teve a honra de conhecer e colaborar com jovens cidadãos engajados, a academia, a sociedade civil organizada e órgãos de controle. Acreditamos que, energizados pelo engajamento dos alunos paraenses e apoiados pela ampla rede de parceiros, demonstramos a importância do engajamento cidadão na melhoria dos serviços públicos”, afirmou Rezende.

O Monitorando foi desenvolvido pelo Centro de Mídia Cívica do MIT com o apoio da Knight Foundation, do Google e do Humanitas360, em parceria com a Nossa São Paulo e organizações membros da Rede Brasileira de Cidades Justas e Sustentáveis, além do Co:Laboratório de Desenvolvimento e Participação da USP. A ferramenta foi testada em diversas cidades do Brasil e atualmente também está sendo usada para monitorar o serviço de travessia de balsas entre São Sebastião e Ilhabela, no litoral norte de São Paulo -através de parceria entre o H360 e o Instituto Ilhabela Sustentável.

A plataforma Monitorando é uma ferramenta de código aberto, disponível gratuitamente ao público em geral. Visite www.monitorandoacidade.org para saber mais.

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>