Pimp My Carroça App: Uber para materiais recicláveis

Através de uma parceria com o MIT-Brazil Program, a Humanitas360 (H360) traz aluna para o Brasil para desenvolver aplicativo que alavancará impacto de coleta seletiva

Em metrópoles como São Paulo, moradores estão sempre na correria do dia-a-dia, ficam presos no trânsito, cumprem com suas obrigações, e mal param para notar a presença de membros importantes da sociedade: catadores – aquelas pessoas que andam pelas ruas puxando carroças feita de maneira caseira e que transportam materiais recicláveis para vender.

Catadores muitas vezes são mendigos que sofrem com o preconceito e negligência do governo e da sociedade. Contudo, eles cumprem um papel crucial no processo de coleta seletiva. Segundo Mundano, grafiteiro e fundador do Pimp My Carroça, 90% de tudo que é reciclado no Brasil é coletado por catadores.

Há 10 anos, enquanto grafitava pelas ruas de São Paulo, Mundano teve a ideia de pintar a carroça de um catador. O efeito foi imediato: o catador sentiu orgulho do seu trabalho e percebeu que alguém o notara. Aquilo marcou o início de um movimento hoje conhecido como Pimp My Carroça.

Com a ajuda de milhares de voluntários, Mundano pôde levar o seu projeto para várias cidades no Brasil e para mais de 20 países. Recentemente, a equipe sentiu a necessidade de criar uma ferramenta para conectar a população e catadores – as pessoas muitas vezes querem reciclar mas não têm informação de como fazê-lo. Foi assim que surgiu a ideia de criar um aplicativo.

Através da parceria entra a H360 e o MIT-Brazil Program, Katrine Tjolsen, estudante do MIT, veio ao Brazil para auxiliar o Pimp a iniciar o desenvolvimento do aplicativo. O programa de intercâmbio do MIT oferece a alunos a oportunidade de ir a outros países para ganhar experiência e aplicar seus conhecimentos e habilidades.

A H360 continuará a trabalhar com o Pimp My Carroça assim como buscar oportunidades para conectar mais alunos do MIT com projetos no Brasil e na região.

Leia mais sobre o Pimp My Carroça e MIT-Brazil Program.

Ainda não há comentários

Comments are closed