Leilão beneficente lança marca Tereza, com produtos de cooperativas de detentos e ex-detentos

O Instituto Humanitas360 promoveu, no início de outubro, leilão beneficente de lançamento da marca Tereza, que criou para comercializar produtos de cooperativas de detentos e ex-detentos no Brasil, e em outros países das Américas. O evento teve a presença das apresentadoras Luciana Gimenez e Sílvia Poppovic, do empresário Ellie Horn, da consultora de estilo Gloria Kalil e do fotógrafo Bob Wolfenson, entre outros. O ponto alto da noite foi o depoimento da ex-detenta Gláucia Lima, que entrou na cooperativa quando ainda estava presa, e agora continua trabalhando nela, de sua casa.

A cooperada Gláucia em momento tiete com as apresentadoras de TV, Sílvia Poppovic e Luciana Gimenez

Os lotes arrematados reuniram ítens da coleção desenvolvida pelas internas da Penitenciária Feminina 2 de Tremembé, no interior de São Paulo. Os leiloeiros foram os designers Renato Imbroisi e Cristiana Barretto, responsáveis pelas oficinas dentro da penitenciária, que levaram à criação desta primeira coleção. Toda a renda gerada foi dividida pelas detentas e ex-detentas cooperadas.

A equipe da Penitenciária Feminina 2 de Tremembé foi representada pela Diretoria de Educação e Trabalho, formada por Daiane Roberta e Estael Ramos. A presidente do Conselho da Comunidade de Execução Penal de Taubaté, Maria Teresa Oliveira Ivo, que vem apoiando o projeto em sua área de atuação, subiu ao palco do evento para dar seu depoimento. Carmen Botelho, diretora do Centro de Ressocialização Feminino de Ananindeua (Pará) e idealizadora da primeira cooperativa no cárcere do país, a Coostafe, que inspira todo esse trabalho, também veio prestigiar o leilão e falar sobre sua iniciativa.

A presidente do H360, Patrícia Villela Marino, com Gloria Kalil, Renato Imbroisi e Cristiana Barretto

A identidade visual da marca Tereza foi desenvolvida por André Poppovic, da OZ Design. Já as estratégias de vendas e marketing são gerenciadas pelo Instituto Humanitas360. Na gíria dos presídios, Tereza é uma corda improvisada, feita com lençóis amarrados, usada em tentativas de fuga. Agora, também é sinônimo de produtos de qualidade, com a missão de garantir que os presos nunca voltem ao cárcere. Tereza continua significando liberdade. Não de forma transitória, mas permanente, oferecendo uma alternativa ao crime através do empreendedorismo e do trabalho em rede.

O empresário Ellie Horn compareceu para prestigiar o leilão

Atuando como uma incubadora de startups formadas dentro de prisões, o Instituto Humanitas360 fornece a essas cooperativas capital semente, capacitação técnica e apoio ao desenvolvimento do modelo de negócio, garantindo que 100% da renda gerada seja transferida para os detentos e ex-detentos cooperados. O projeto é fruto de uma parceria do H360 com a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP/SP), o Departamento Estadual de Execução Criminal (Deecrim) de São José dos Campos e o Conselho da Comunidade de Execução Penal de Taubaté.

Ao comprar um produto com a marca Tereza, os consumidores ajudam a manter detentos, ex-detentos e suas famílias longe da criminalidade, diminuindo a violência no país.

Todos os produtos com a marca Tereza estão à venda no site http://www.tereza.org.br

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>